Teresina registra redução de 19% nas mortes de trânsito no último trimestre do ano passado

Teresina reduziu em 19% a quantidade de mortos no trânsito no 4º trimestre de 2019, em relação ao mesmo período de 2018. Os dados são do relatório do Programa Vida no Trânsito (PVT) e ao serem comparados esses dois trimestres destaca-se ainda que não houve nenhuma morte de ciclista, teve redução de 6,7% para acidentes graves nessa categoria e a redução de 50% em acidentes de automóveis com vítimas fatais.

 

Considerando o grupo de vítimas motociclistas foi registrado aumento tanto para as vítimas fatais (4%), quanto para os graves (3,2%). Entre as vítimas fatais e graves, o maior percentual é do sexo masculino, respectivamente, 76,5% e 81,2%. No grupo dos fatais e acidentes graves, as faixas etárias com maiores percentuais foi de 26 a 35 anos com 35,3% e 24,6% respectivamente, seguidos das faixas etárias de 18 a 25 anos com 20,6% dos fatais e 24% dos graves e de 46 a 59 anos com 20,6% dos fatais e 16,9% graves.

 

A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito informa que pedestres idosos são os mais vulneráveis e a gerente de Educação no Trânsito da Strans, Samyra Motta, destaca que os idosos estão muito expostos a possíveis acidentes. “Existem várias dificuldades nessa fase da vida com os problemas de visão, a dificuldade de caminhar, todas as comorbidades adquiridas com a idade e os que andam desacompanhados estão mais suscetíveis para a ocorrência de acidentes”, cita.

 

Quanto aos dias da semana, o relatório aponta que a maior parte dos acidentes do 4º trimestre de 2019, com vítimas fatais, ocorreram aos domingos (23,6%), sábados (17,6%) e sextas e segundas-feiras (14,7%). Os turnos com maiores incidências desse tipo de acidentes foram as noites dos domingos (11,8%), noites de segunda-feira e sábados (8,8%).  Os acidentes graves foram aos domingos (23%), sábados (17,3%) e as terças-feiras (13,8%). Os turnos com maior incidência de acidentes graves foram as noites dos sábados (7%), tardes de domingo (6,8%) e noites de domingo (6,6%).

 

Os dados do relatório do PVT possibilitam analisar a eficácia das ações desenvolvidas pelo poder público com o objetivo de reduzir o número de óbitos e feridos graves de acidentes de trânsitos ocorridos em Teresina.

Teresina registra redução de 21% de acidentes com motociclistas na pandemia da Covid-19

A quantidade de acidentes envolvendo motociclistas caiu em 21% de março a junho deste ano na capital. O dado é comparado ao mesmo período de 2019 e consta nas informações do Hospital de Urgência de Teresina (HUT), que atende pacientes acidentados envolvendo motocicleta. Nesse período de quatro meses, a cidade já estava com medidas restritivas de serviços e de circulação de pessoas devido à pandemia da Covid-19.

Na data de hoje (27) quando é comemorado o Dia Nacional do motociclista percebe-se o aumento na quantidade de motociclistas nas ruas de Teresina, devido à demanda pelo serviço de entrega de mercadorias que prioriza o serviço em motocicleta.

Sobre a quantidade de acidentes, os dados do HUT revelam que de março a junho do ano passado foram 2.879 ocorrências com motos, sendo 748 em março, 689 em abril, 755 em maio e 678 em junho. Em 2020 foram 2.272 acidentes o que comprova a redução de 21%, sendo 638 acidentes em março, 469 em abril, 604 em maio e 561 em junho.

Sobre as condutas corretas no trânsito pelos motociclistas, a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) alerta para a necessidade dos condutores observarem as normas obedecendo os limites de velocidade de cada via, a atenção nos cruzamentos e o uso do capacete.

O agente de trânsito da Strans, Hudson Rabelo, cita quais são as principais condutas para evitar acidentes. “A utilização do capacete afivelado, o uso do retrovisor e o respeito ao limite de velocidade em cada via evitam a ocorrência de acidentes graves”, diz.

O condutor da motocicleta está sempre em situação de vulnerabilidade no trânsito e alguns atos contribuem para acontecer acidentes, como explica o agente de trânsito, Torquato Neto. “Numa simples observação do comportamento do motociclista percebemos muitas atitudes proibidas sendo praticadas e em especial nesse período em que houve redução do tráfego. São manobras como subir em canteiros, trafegar pelas calçadas, não respeitar a sinalização e o excesso de velocidade são atitudes que causam muitos acidentes”, analisa.

 

Strans registra redução de mais de 95 % no número de acidentes com isolamento social

Após o início do isolamento social em Teresina teve redução de 95,2%, na quantidade de acidentes, apenas com danos materias, com cinco ocorrências, no período de 23 de março a 13 de abril, o que corresponde a 22 dias. Os dados são da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) e apontam que foram 103 acidentes no período de 01 a 22 de março, o que corresponde ao mesmo mesmo período de dias.

O supervisor geral dos agentes de trânsito, Torquato Neto, cita que as ocorrências são na maioria de colisão frontal. “Quase todos foram por causa da falta de atenção e desrespeito às leis de trânsito com o avanço de sinal vermelho em um cruzamento. Sabemos que houve bastante redução no fluxo de veículos, mas aina existem condutores que não obedecem a legislação.

Ele informa que os dados são registrados pela seção de acidentes da Strans e que casos com vítimas são repassados para a Polícia Civil. Os agentes de trânsito continuam fazendo atendimento à população pelos fones 11

Quando da determinação pelo prefeito Firmino filho de decretar a suspensão  de vários tipos de serviços, houve a redução significativa de deslocamento das pessoas e também do fluxo de veículos. O prefeito e autoridades da saúde continuam com o mesmo pedido para as pessoas ficarem em casa e assim impedir a contaminação pelo Covid -19.

Strans registra redução de mais de 85% no número de acidentes nesta semana

A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) registrou a redução de 85,7% no número de acidentes, no período de 23 a 27 deste mês, com apenas cinco ocorrências e sem vítimas fatais. Os dados percentuais são em relação ao período de 13 a 22 deste mês quando ocorreram 35 acidentes.

Esse período de redução corresponde ao início do fechamento do comércio e de outros estabelecimentos e funcionamento apenas de serviços essenciais, conforme decreto municipal em relação à pandemia do Covid-19.

O supervisor geral dos agentes de trânsito, Torquato Neto, cita que as vias estão quase sem tráfego nesta última semana. “Houve muita redução no fluxo de veículos. A Strans registra os acidentes sem vítimas fatais porque quando existem vítimas, o registro deve ser feito pela Ciptran”, informa.

Quando da determinação pelo prefeito Firmino filho de decretar a suspensão  de vários tipos de serviços, houve a redução significativa de deslocamento das pessoas e também do fluxo de veículos. O prefeito e autoridades da saúde continuam com o mesmo pedido para as pessoas ficarem em casa e assim impedir a contaminação pelo Covid -19.

Para atender possíveis necessidades da população, a Strans pode ser acionada pelos fones 118 e 3122 7617 das 6h às 23h.

 

 

 

Teresina tem redução de 18,5% no número de vítimas fatais em acidentes com motociclistas

Teresina registrou redução de 18,5% no número de vítimas fatais em acidentes com motociclistas, no terceiro trimestre de 2019. Nesse período, foram 22 vítimas fatais (61% do total), cinco a menos do que o que foi registrado no mesmo período de 2018, quando se foram contabilizadas 27 mortes (75%).  Os dados são do Programa Vida no Trânsito (PVT), que faz a compilação de informações envolvendo vários órgãos de fiscalização de trânsito e de saúde.

A gerente de Educação de Trânsito da Strans, Samyra Mota, analisa que ainda são os motociclistas as principais vítimas de acidentes de trânsito, tanto para os fatais (61,1%) como para os graves (83,3%).

“Mesmo ainda sendo muito alto o índice de vítimas fatais e graves envolvendo motociclistas, ficamos satisfeitos com o resultado desse trimestre que mostra a redução de cinco mortes, pois esse é o grupo de maior risco. Para nós, uma vida que conseguimos salvar mostra que as nossas ações estão tendo resultados positivos”, analisa a gerente.

A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) alerta que outro grupo de risco que tem chamado atenção é o de idosos, que também teve redução de 40% na quantidade de vítimas fatais. Nos meses de julho a setembro de 2018, foram cinco vítimas fatais, esse número caiu para três no mesmo período de 2019.

O superintendente da Strans, Weldon Bandeira, analisa que os resultados positivos  se devem em grande parte à intensificação de ações educativas e de sinalização. “A redução dos limites de velocidade, juntamente com a intensificação da sinalização das vias contribuem para que os condutores andem mais devagar, o que permite aos idosos, que têm mobilidade reduzida, mais segurança no trânsito e a redução do número de acidentes”, declara.

Conforme os dados dos 3º trimestres de 2018 e 2019, presentes no relatório do PVT, verifica-se que não houve alteração no número de óbitos, mas teve redução de 10,7% no número de vítimas graves e de 7,6% no número total de vítimas.

Outro dado observado é que, entre as vítimas fatais e graves, o maior percentual é do sexo masculino, respectivamente, 91,7% e 81,2%. No grupo dos fatais, as faixas etárias com maiores percentuais foi de 18 a 25 anos e de 46 a 59 anos (com 27,8% cada) e na segunda colocação estão as vítimas de 26 a 35 anos (19,4%). Considerando o grupo das vítimas graves, o maior percentual foi em relação a faixa etária de 26 a 35 anos (27,2%), seguido da faixa etária de 18 a 25 anos (23,3%).

Strans alerta que pedestres idosos estão em situação de risco no trânsito

Chama a atenção a quantidade de acidentes de trânsito envolvendo pedestres com idade a partir de 60 anos nas ruas de Teresina. Somente no primeiro semestre deste ano foram 109 acidentados, sendo 13 vítimas fatais e 86 graves. Os dados são do Relatório do Programa Vida no Trânsito.

Em 2018 foram 208 acidentados, com 30 vítimas fatais e 178 graves. Em 2017 foram 177 pedestres idosos vítimas de acidentes, com 28 mortes e 149 vítimas em estado grave. As estatísticas apontam que os pedestres ocupam a segunda colocação na quantidade de acidentes, perdendo apenas  para a categoria dos motociclistas.

A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) alerta para a necessidade de um trânsito mais harmônico, com respeito às necessidades dos pedestres idosos, considerados a parte mais sensível por enfrentarem muitos obstáculos nas ruas, como dificuldade de locomoção, o excesso de velocidade dos veículos e a condução imprudente.

A gerente de Educação no Trânsito da Strans, Samyra Motta, explica que os idosos são a parte mais sensível por terem mobilidade reduzida e outras dificuldades como a visão, por isso a necessidade de mais atenção por parte de todos que fazem o trânsito. “O idoso tem dificuldade de perceber a velocidade dos veículos na via, de caminhar mais rápido, além da distração com mais frequência e muitos se deslocam sozinhos”, avalia.

Luiz de Sousa Santos tem 60 anos e nunca sofreu um acidente. Ele conta que está sempre atento à sinalização, além de ter muito cuidado nas travessias. “Existe boa sinalização na cidade, mas é preciso ter muita atenção e eu sempre levanto o braço para mostrar que eu quero atravessar a rua”, relata.

Samyra orienta que é necessário pensar no outro e respeitar as limitações do idoso. Sugere ainda que o familiar acompanhe a pessoa idosa e que os condutores de veículos respeitem o tempo para o idoso atravessar a via. “Não temos leis especificas para o idoso no trânsito, mas os condutores de veículos precisam ter a sensibilidade de respeitar as necessidades dessa parcela da população”, diz.

 

Cuidados para o idoso

Usar calçado fechado e adequado para caminhar;

Para atravessar a via, o idoso deve acenar com o braço perpendicular ao corpo para avisar que fará a travessia;

Aguardar o sinal do pedestre ficar verde e, se for necessário, pedir ajuda para outra pessoa;

Atravessar a via em linha reta;

Se estiver andando pela calçada, evitar ficar próximo ao meio-fio, pois alguma queda pode levar o idoso a cair na via, perto dos carros.

Strans inicia projeto Esquina Segura para reduzir colisões de veículos em cruzamentos

A Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (Strans) está reforçando a sinalização horizontal e vertical em 26 cruzamentos de Teresina. É o Projeto Esquina Segura, que tem o objetivo de reduzir a quantidade de colisões nesses pontos, que estão recebendo placas e pintura no asfalto.

A sinalização já foi implantada nos cruzamentos da rua Anfrísio Lobão com as ruas Irapuã Rocha e Hugo Napoleão, Jockey, zona leste da cidade; e na Rua Almirante Tamandaré com a Rua Piauí, zona norte.

Com essas ações, haverá uma melhora na visualização para os condutores e mais segurança para todos, incluindo pedestres. A meta é que, com a implantação do projeto, haja uma redução na quantidade de pequenas colisões nos cruzamentos onde são verificados mais acidentes, se expandindo para outras vias da cidade.

Dados da Seção de Acidentes da Strans revelam que este ano, de julho a setembro, aconteceram 450 acidentes em Teresina, sendo 132 em julho, 156 em agosto e 162 em setembro. A média de colisões nos locais selecionados para a execução do projeto é de três por mês.

O diretor de Trânsito e Sistema Viário da Strans, José Falcão, explica sobre o Esquina Segura. “Queremos aumentar a visão dos condutores que estão fazendo a parada obrigatória nos cruzamentos e nas esquinas. Nas vias, colocamos placas com informação da obrigatoriedade de parar, fizemos nova pintura e colocamos tachões, assim como nas esquinas, para identificar que não é permitido estacionar em distância inferior a cinco metros. Quanto mais livres, melhor a visibilidade do motorista e menor os riscos de acidentes”, diz.

Falcão explica que a escolha dos cruzamentos para implantar o projeto foi baseada em índices. “Já temos a localização de onde acontecem mais colisões, faremos fiscalização e acompanhamento para termos um comparativo para verificar os resultados positivos das ações”, enfatiza. “Com isso, estamos tentando estimular uma mudança na cultura do condutor, que insiste em desrespeitar as normas de circulação viária”, enfatiza.

Esse tipo procedimento foi implantado com sucesso pela Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) em Fortaleza e apresentou melhorias, com redução de quase 60% dos acidentes. Diante disso, o projeto passou por alguns ajustes e está sendo feito em Teresina.

Veja os locais:

  1. Rua Senador Candido Ferraz x rua Joca Pires
  2. Av. Magalhães Filho x rua Benjamin Constant
  3. Av. Rio Poti x rua Gov. Joca pires
  4. Rua 13 de Maio x rua Valdivino Tito
  5. Rua Des. Freitas x rua Arlindo Nogueira
  6. Rua Orlando Carvalho x rua Azar Chaib
  7. Av. Barão de Castelo Branco x rua Pedro II
  8. Av. Zequinha Freire x rua Francisco Brito Souza
  9. Rua Quintino Bocaiuva x rua Paissandu
  10. Rua dep. Antonio Gayoso x rua Diadema
  11. Av. Industrial Gil Martins x rua Oeiras
  12. Av. Prof. Valter Alencar x rua Dr. Area Leão
  13. Rui Barbosa x Des. Freitas
  14. 24 de Janeiro x Félix Pacheco
  15. 24 de Janeiro x São Pedro
  16. Arlindo Nogueira x Lisandro Nogueira
  17. Arlindo Nogueira x Benjamin Constant
  18. Prof Madeira x Lindolfo Monteiro
  19. Hugo Napoleão x Anfrísio Lobão
  20. Q. 67 x Ant. Gomes Chaves (lateral Mercado Dirceu I)
  21. Iolanda Raulino x Martinho de Sena Rosa
  22. Joaquim Nelson x Noé Mendes
  23. Manoel da Paz x Pedro Freitas
  24. Barroso x Valdivino Tito
  25. Alm. Tamandaré x Rua Piauí
  26. Irapuã Rocha x Anfrísio Lobão

Seção de acidentes da Strans registrou 450 ocorrências de trânsito em três meses

No período de julho a setembro deste ano a Seção de Acidentes de Trânsito da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) registrou um total de 450 ocorrências de trânsito, sendo 132 no mês de julho, 156 em agosto e 162 no mês de setembro, entretanto, desse total em torno de 270 solicitaram o laudo do acidente.

O órgão informa que as pessoas que se envolverem em acidentes de trânsito devem entrar em contato com a Seção através do telefone (86) 3122-7617. Depois disso, os agentes de trânsito se deslocam até o local e fazem o boletim de ocorrência e, quando necessário, emitem o laudo.

O diretor de Operações de Fiscalização da Strans, Jaime Oliveira, informa que com a presença da equipe de agentes no local do acidente é feito o Boletim de Registro de Ocorrência de Trânsito (BRAT). Com esse documento, caso a pessoa queria que seja feito o laudo, deve procurar o protocolo da Strans para solicitar o documento, que é entregue aos envolvidos no prazo de 10 a 15 dias. “Em alguns casos os envolvidos na colisão entram em acordo e não há necessidade do laudo da ocorrência”, explica.

O diretor reforça ainda que o serviço funciona no horário das 6h às 23h. “Contatamos a empresa de telefonia local para, em breve, disponibilizar um número de telefone com três dígitos, para que todos memorizem facilmente”, informa.

O serviço continua sendo realizado também pela Companhia Independente de Trânsito (CIPTran), das 23h às 6h, através do telefone 190. Nas rodovias estaduais é feito pelo Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRE) e nas rodovias federais pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).