Durante a pandemia da Covid-19 os usuários do transporte coletivo de Teresina foram identificados por meio de pesquisa que aponta que 60% são de trabalhadores do comércio essencial (supermercados, farmácias, postos de gasolina, entre outros); 25% são da área da saúde e 15 % de setores diversos. A pesquisa foi realizada nos 8 terminais de integração pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec).

Teresina tinha um fluxo diário de 220 mil pessoas utilizando o sistema de transporte coletivo e com a pandemia da Covid-19 houve redução para 1/3 da frota e atualmente fazem uso dos ônibus 20 mil usuários, por dia, para os deslocamentos.

Weldon Bandeira, gestor da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), explica que com base nesses dados verificou-se que era necessário alterar horários de funcionamento de estabelecimentos comerciais que estão em funcionamento. “Por meio de decreto foi feita essa alteração dos horários para evitar aglomeração nos terminais”, cita.

Os dados da pesquisa apontaram que 55,7% dos usuários do transporte coletivo são mulheres que trabalham em setores essenciais e na iniciativa privada, 88% dos usuários informaram que precisam sair de casa uma vez por semana e 44% saem todos os dias para trabalhar, 17,6% são funcionários públicos e 30,4% são na faixa etária de 36 a 50 anos, que está sendo a mais atingida pelos efeitos dessa crise provocada pela pandemia do novo corona vírus.

Dados da pesquisa deverão ser usados para planejamento e outras tomadas de decisão em relação ao uso dos transportes coletivos

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).